segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Fotos Antigas: CBT 1090 em Engenheiro Beltrão - PR

- Trator CBT 1090 A de propriedade do sr. Pedro Bosa, trabalhando no município de Engenheiro Beltrão no Paraná, quando ainda era praticamente novo. As fotos foram gentilmente enviadas pelo Ademar Bosa, filho do sr. Pedro.



segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Fotos Antigas: Tratores na caixa

- Fotos muito interessantes que encontrei na internet. Provavelmente de algum fórum norte americano, mas que ilustram perfeitamente como a grande maioria dos tratores antigos chegavam aqui no Brasil!

- São dois tratores John Deere diferentes, reparem que o primeiro, abaixo, está até com o cambio separado do motor para reduzir ainda mais o tamanho da caixa. O último é certamente um CASE.






quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Histórias: Josef Mengele e os Ursus

- Qual a relação entre o médico considerado o "anjo da morte" dos campos de concentração e os tratores poloneses Ursus da década de 50? Bom ao menos pra mim uma curiosa e engraçada história que segue abaixo...


- Na maioria das áreas agrícolas do Brasil, na década de 50, de acordo com o revendedor ou a região do estado, ou até mesmo pela etnia dos imigrantes, podiam ser vistos tratores de diferentes marcas em algumas cidades e em outras não. Em Piracicaba-SP era comum se ver muitos tratores italianos Landini, marca que aqui em Itápolis não chegou a ser comercializada e poucos ouviram falar na época. Em colônias de japoneses o comum era se ver tratores pequenos, como Ferguson, ou o Ford. Os alemães davam preferência as marcas de sua terra, e muitas vezes empresas de renome como a Ford, ou a International Harvester, dominavam a venda em grandes quantidades e tinham presença na maioria das propriedades devido a suas agências e assistência técnica em várias capitais.

- Aqui em minha cidade Itápolis, interior de São Paulo, não foi diferente. Mesmo tendo colonização predominante de italianos, devido a um imigrante europeu tivemos a presença de tratores da marca URSUS, importados da Polônia, mas que talvez na época vinham em algum acordo com a antiga U.R.S.S., gerando aqui a primeira confusão das pessoas entre o nome do trator e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, dizendo a maioria serem tratores Russos.

- Este senhor, de nome "abrasileirado" Stanislau, se chamava na verdade Missislawa Kinestautas, e foi o responsável por trazer para a cidade mais de uma dúzia de tratores Ursus entre o final dos anos 50 e início dos anos 60. Como estes tratores eram bem diferente da maioria, com motor de um pistão de 12 litros, e ciclo dois tempos, naquela época em que carros e caminhões já seguiam o padrão do motor de cilindros em linha de ciclo quatro tempos, o Stanislau e os novos proprietários dos Ursus logo ficaram de uma certa forma famosos, pois qualquer um saberia apontar quem tinha um trator diferente como aquele.

- E o tempo passou, os Ursus cumpriram seu papel na lavoura, muitos já se tornaram velhos e usados e assim eram comercializados pelos agricultores, e poucos mecânicos da cidade sabiam ou arriscavam consertá-los. Mas e o Stanislau? Até onde deduzi, ele deu manutenção nestes tratores enquanto ainda eram novos, recém vendidos, por um período de uns cinco anos talvez, pois infelizmente (não sei ao certo quando) descobriu estar com câncer e cometeu suicídio. Ele era casado e não tinha filhos, sua esposa logo se mudou e vendeu a casa e a oficina ao lado, como se diz por aqui "de porteira fechada", para um senhor de apelido Português, que até hoje mora no local. 

- Nesse período algumas oficinas como a do Lucatto e a do Brunelli eram as que davam manutenção nos Ursus aqui em Itápolis. Um deles foi comprado usado junto com um lote de outros Ursus,  e vendido para meu avô, sendo o trator que herdei e restaurei em 2007 - tratoresantigos.blogspot.com.br/2011/05/ursus-c-451-1959.html. Durante e até depois da reforma, tentei conversar com antigos proprietários, donos de oficina, mecânicos, tentando reunir informação, fotos e até algum material da época, mas como quase 50 anos haviam se passado, não tive muito sucesso.

- Em uma de minhas conversas, fiquei sabendo do infeliz acontecido com o Stanislau e da venda de sua casa ao sr. Português, e então fui até lá tentar encontrar algo. Expliquei a ele que procurava qualquer informação sobre os tratores que o Stanislau vendeu, e foi assim que soube da relação dos Ursus com o doutor da morte Josef Mengele.

- O médico alemão após o fim da Segunda Guerra, fugiu da Alemanha e se refugiou primeiro na Argentina, onde um companheiro seu foi localizado. Ele fugiu então para o Paraguai e depois entrou no Brasil sempre usando nomes e documentos falsos. Em sua passagem pelo país Josef Mengele chegou a residir em cidades como Assis, Marília e Nova Europa, esta última que fica a uma distância de 40 quilômetros aqui de Itápolis.

- Muitos dizem que Josef Mengele e o Stanislau eram amigos, e se encontravam frequentemente. Alguns falam até que Mengele chegou a morar aqui em Itápolis, mas informações sem certeza nenhuma. O período era de ditadura militar, muita severidade, muitas pessoas começaram a investigar a vida de Mengele no Brasil após sua morte em 1979, e assim repórteres, ou somente curiosos começaram a bater à porta da antiga residência do sr. Stanislau a procura de informações de seus encontros com o médico alemão.

- Nisso, em pleno ano de 2010, perguntei ao sr. Português se quando ele comprou a residência e a oficina do Stanislau, ele não se lembrava de haver manuais, catálogos, fotos ou qualquer coisa a respeito dos tratores Ursus. Nisso ele me respondeu: "Olhe tinha sim... tinha um baú grande, com muitos papéis, fotos, diários, documentos, etc... Nisso muita gente vinha aqui perguntar do Mengele, do Stanislau, e como era aquela época de ditadura, eu fiquei com medo, levei o baú no quintal, joguei gasolina e taquei fogo!!!" 

** Esta é apenas uma história que contei juntando informações de minha cidade, pode ser que muitos fatos estejam errados ou não existam.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Fotos Antigas: Ford 8N da Fazenda Pau D´Alho

- Três belas imagens, onde o Fordinho 8N aparece em duas delas, em serviços diferentes. Na primeira foto a colheita de arroz, ainda manual, e depois a carreta já carregada sendo puxada pelo trator e os trabalhadores exibindo os feixes amarrados.



- Nesta segunda foto, certamente o mesmo trator trabalhando com a trituradeira de milho, tocada por correia na polia do trator, enchendo o silo feito no chão.


- As fotos retirei da página Campinas de Outrora, na postagem sobre a Fazenda Pau D´Alho nos anos 50.

- Curioso lembrar que este Fordinho já apareceu aqui no blog durante a construção do silo: http://tratoresantigos.blogspot.com.br/2012/09/trator-ford-da-fazenda-pau-dalho-em-1952.html

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Fotos Antigas: Ferguson o bondinho de Itanhaém



- Em foto dos anos 60 ou 70, o Ferguson provava que alguns tratores trabalhavam não só na agricultura. Este, por sua vez, ainda ficou famoso no litoral como o Bondinho de Itanhaém!

- Os pneus já lisos denunciavam o trabalho do trator somente pelos pisos e asfalto das ruas da cidade. O serviço do bondinho é um dos meios de transporte mais populares desde a década de 50, certamente iniciado por este Ferguson!

- A foto veio do blog: http://fotosdeitanhaem.blogspot.com.br

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

História: Primeiros tratores Brasileiros: TMO Formiga - Parte III

- Continuando a resgatar a belíssima história da companhia OLSEN e os tratores TMO, desta vez coloco aqui informações que foram gentilmente enviadas pelo sr. Carlos Olsen, filho do sr. Oswaldo, o grande idealizador dos tratores TMO.

- Um resumo da vida do sr. Oswaldo:

"De origem norueguesa, natural de Três Barras - SC, Oswaldo Olsen nasceu em quatro de setembro de 1918. Seus pais, Eduardo e Anna Olsen, lutaram com ingentes dificuldades para sustentar uma prole de 12 filhos. Aos nove anos de idade, Oswaldo iniciou sua vida de trabalho. Para ajudar a família vendia frutas e legumes que transportava em uma carrocinha. Já nesta tenra idade, seu espírito inventivo e de iniciativa começou a se manifestar. Tinha só dez anos quando começou a fabricar carrinhos com rodas de madeira e eixos de ferro, cuja venda possibilitava melhores condições de sobrevivência para a numerosa família. A par de sua capacidade inventiva, manifestava-se também o pendor para a música e com relativa facilidade, aprendeu acordeon e piano. Com 16 anos, já participava de um conjunto local, o que viria aumentar seus rendimentos. Sua curiosidade e seu interesse pela mecânica o levaram a um aprendizado prático em oficinas e não raro, apesar da pouca idade, era surpreendido a dirigir as pesadas locomotivas (de 50 a 60 toneladas), da Companhia Lumber. Mal tinha completado 15 anos e já era profissional, consertando tratores das marcas Fordson e Caterpillar. Tomou gosto pelas máquinas que passaram a constituir sua primeira paixão. As observações e o interesse que tinha pelas máquinas de madeireira Lumber, principalmente os guinchos, plantaram em sua mente de criança, as idéias que mais tarde iria por em prática, ao construir suas próprias máquinas. Seu primeiro guincho, fabricado em 1944, existe até hoje, em perfeito funcionamento. Em 1942, deixou sua cidade natal mudando-se para Caçador, onde ao lado de seu primo Wigando Olsen, iniciou a fabricação de aparelhos a gasogênio, instalando a IMBERT, primeira indústria metalúrgica da localidade. A partir de 1956 passou a dedicar sua atenção ao fabrico de tratores de esteiras, fundando em 1962 a Companhia Olsen de Tratores Agro-Industriais. Exatamente às 09:30 horas do dia quatro de setembro, data e hora do nascimento do Sr. Olsen, seu primeiro trator começava a "engatinhar", coisa que só o destino sabe explicar. Em entrevista a um jornal local, Olsen declarou: "Meu trator é uma realização de caráter cem por cento nacional, feito no Brasil, com materiais e técnicas do Brasil, e pelo Brasil".


- Descrição técnica dos tratores fabricados nas décadas de 60 e 70:



PRIMEIRO TRATOR DE ESTEIRA TOTALMENTE HIDROSTATICO FABRICADO NO BRASIL
TRATOR DE ESTEIRA: .................... TMO RHD120
PESO:............................................... 10.000 KILOS
MOTOR............................................ DEUTZ 6 CILINDROS 120 HP REFRIGERADO A AR
ANO DE FABRICAÇÃO..................... 1976
PROJETISTA.................................... OSWALDO OLSEN
CIDADE:........................................... CURITIBA - PR
                                                  


PRIMEIRO TRATOR ARTICULADO 4X4 PROJETADO E FABRICADO NO BRASIL
TRATOR DE PNEU:  ........................ TMO FORMIGA
PESO:............................................... 8.000 KILOS
MOTOR............................................. PERKINS 6 CILINDROS 120 HP OU TMO 6 CILINDROS 2 TEMPOS 140 CV
ANO DE FABRICAÇÃO..................... 1969
PROJETISTA:................................... OSWALDO OLSEN
CIDADE:........................................... CAÇADOR - SC



PRIMEIRO TRATOR FABRICADO E PROJETADO NO BRASIL
TRATOR DE ESTEIRA...................  TMO CAÇADOR  (FOTO PRETO E BRANCA)
PESO:.............................................. 7.000 KILOS
MOTOR........................................... ALFA ROMEO 4 CILINDROS 70 CV
ANO DE FABRICAÇÃO.................... 1964
PROJETISTA................................... OSWALDO OLSEN
CIDADE:........................................... CAÇADOR - SC

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Fotos Antigas: Desfile de tratores em Guarapuava - PR

- Os mesmos tratores da última postagem também desfilaram todos enfeitados lá na década de 70, mas desta vez na cidade de Guarapuava - PR. A foto abaixo na verdade é um cartão postal já colorido que retrata o desfile pela rua XV de Novembro.

- Puxando a fila um Hanomag R-45 todo enfeitado seguido de outro igual. Logo atrás um Hanomag R-35.  O quarto trator não consegui identificar, mas o quinto no desfile é um Zetor 50 Super.

- A foto retirei da página Guarapuava Histórica, no Facebook.


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Fotos Antigas: Hanomag desfilando em Entre Rios - PR


- Bela imagem retratando o desfile em uma das colônias de Entre Rios - PR. Na ocasião o Hanomag R-45 puxava a fila seguido de mais dois modelos iguais, todos enfeitados, assim como as colheitadeiras.

- No canto esquerdo da foto ainda apareceu parte de um Deutz. Tanto os Hanomag R-45 como os Deutz foram os dois tratores símbolo da colônia, importados durante a abertura das terras daquela região! Alguns destes tratores existem até hoje, e podem ser vistos anualmente no encontro de tratores da colônia, o Traktor Fest, organizado pelo T.A.E.R. - Tratores Antigos de Entre Rios, de onde retirei esta bela foto!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Fotos Antigas: Trator a gasogênio em Treze Tílias - SC

- Raríssima imagem de um trator movido a gasogênio trabalhando em uma serraria no município de Treze Tílias - Santa Catarina.

- A marca e modelo do trator não consegui identificar, mas lembra muito um Fordson dos anos 20 um pouco modificado. O mais curioso é o registro de uma máquina dessa movida a gasogênio, com todo esse equipamento para extração e queima do gás e ainda durante seu serviço!

- A foto foi uma dica do leitor do blog Ronald Seitz e veio da página www.tiliasnews.com, de uma reportagem sobre um filme que contará a história da colonização austríaca da região.


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Relíquias do Brasil - Parte XXI - FNA Micron

- O Brasil inciou tarde sua mecanização agrícola. Enquanto outros países eram pioneiros na produção de máquinas para a agricultura, o Brasil ainda as importava, sendo o crescimento de nossa agricultura dependente da mecanização estrangeira. Isso fez com que no Brasil possam ser vistos tratores antigos de variadas nacionalidades e marcas. Desde os símbolos americanos como John Deere, Farmall, Case, Ford, até os tratores que marcaram os europeus, como os Lanz Bulldog, Deutz, Hanomag, Ferguson, Fordson, etc.

- Mas dentre essa tratorzada toda que foi importada décadas atrás, existem alguns modelos muito mais raros, cuja importação não deve ter passado de dezenas de unidades, ou menos.

- Uma questão importante de se levar em conta é o fato de alguns desses raros exemplares não terem sidos oficialmente importados por algum representante brasileiro, mas sim, terem entrado no país pela fronteira com Argentina ou Uruguai, ou na maioria das vezes, trazidos "na mala" pelos imigrantes que vieram para o Brasil em busca de um futuro melhor.
 


Relíquias do nosso Brasil – F.N.A. Micron



- Este pequenino trator de esteiras é de procedência italiana. Sua marca é FNA - Fabbrica Nazionale D'armi ou Fábrica Nacional de Armas, e seu modelo é chamado de MICRON. Possui motor de um cilindro a gasolina refrigerado a ar. 

- O modelo da foto abaixo pertence ao museu de tratores Agromen, e tem escrito como nome Brescia, o que está errado. Brescia é a cidade onde este trator era produzido.



quinta-feira, 2 de outubro de 2014

História: A mecanização Agrícola no Brasil - parte II


- O trecho a seguir eu retirei da revista RURALIDADE, nº 12 - Ano 03, de Dezembro de 1972. Ele dá continuidade a postagem sobre a Mecanização Agrícola no Brasil, e também nos dá um resumo e explica o que ocorreu com a produção nacional de tratores no final da década de 1960.

"Artigo sobre mecanização agrícola - OLHAI OS TRATORES DO CAMPO

No sul, uma acusação: as máquinas necessárias ao trigo e a soja tiram o emprego dos lavradores. Em São Paulo, uma afirmação: nunca houve tantos tratores como agora, e já se afirma que "nos próximos 10 anos o Brasil será um centro mundial de produção de tratores". No Norte, uma promessa: a colonização da Amazônia exige tratores.

Segundo os técnicos governamentais, a mecanização da agricultura no Brasil "já existe" e é, destacadamente, a primeira na América Latina, embora ainda seja insignificante em comparação com a dos países mais desenvolvidos. Há euforia entre os fabricantes: até o fim do ano, 30 mil tratores deverão ser vendidos.

Isto representa um contraste em relação ao que acontecia em 1969, quando um boletim da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores expressava desalento, dizendo que as vendas do ano foram muito inferiores às de 64. De lá para cá, no entanto, o Governo partiu para uma série de medidas de apoio ao setor - e começou o boom da mecanização agrícola brasileira.

Nascimento

A indústria de tratores foi criada por um decreto governamental, em dezembro de 1959. No ano seguinte, a Ford do Brasil lançava seus cinco primeiros tratores de quatro rodas, mais num sentido promocional. Em 1961 era a vez da Valmet iniciar sua produção, e em 62 a da Massey Ferguson. Em 1964, a Ford, a Fendt, a Deutz, a Valmet, a Companhia Brasileira de Tratores CBT e a Massey Ferguson produziram 12 mil unidades.

A partir de então, começaram a se sentir os efeitos de uma distorção da política brasileira sobre a mecanização agrícola.

Antes que a indústria fosse implantada, os tratores, é claro, tinham de ser importados, e o Governo Federal dava um forte subsídio, com uma taxa de câmbio favorecida, que numa determinada época chegou a alcançar 50% do valor real. Internamente, ofereciam-se financiamentos com uma taxa de juros de 7%, quando os juros comerciais eram da ordem de 15%. Além disso, o Brasil se aproveitava da economia de escala das fábricas européias e americanas.

Quando se implantou a indústria, todos os subsídios foram cortados, e os tratores tinham os preços prejudicados pela carga tributária. Mesmo assim, as vendas eram consideradas razoáveis, em termos de América Latina, pois a inflação chegara a 84% e o lavrador comprava o trator a uma taxa de juros de 11% ao ano, para ser pago em três anos, o que já equivalia a um alto subsídio.

Depois do movimento de 31 de março de 1964, os dirigentes da economia brasileira se mostraram sensíveis ao argumento, então universal, de que a mecanização agrícola provocava o desemprego no campo. Por isto, os juros de 11% ao ano foram aumentados para 24%, e, com a redução da inflação (65% em 1965, 40% em 66, e 38% em 67), a situação da indústria de tratores se agravou.

Houve um duplo crescimento no preço real, trazendo uma crise para as fábricas - e em 1967 a produção nacional descia para 6 mil unidades, o que era considerado "o fundo do tacho". Das seis empresas existentes no Brasil restaram apenas três: a Valmet, a CBT e a Massey Ferguson."

Fotos Antigas: Hanomag desfilando em Assis-SP


- Hanomag R-35 do "último modelo" desfilando na cidade de Assis-SP e posando junto aos populares. O trator estava enfeitado, e a foto datada de 1960, mostra que o trator, a julgar pelos pneus, pelos detalhes e pelo brilho, devia ser uma aquisição recente do proprietário.

- A foto retirei da página Memória Fotográfica Assisense no Facebook.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Fotos Antigas: Oficina de tratores em Bagé - RS

- Surpreendente foto que o amigo e leitor do blog, sr. Adolf Schartner, nos enviou esta semana. Na belíssima imagem, nada menos que sete tratores antigos de variadas épocas e nacionalidades!

- A imagem nos mostra como era o dia a dia na oficina do sr. Heinrich Kliewer (Henrique), no ano de 1961, interior do Rio Grande do Sul. Mais precisamente na Colônia Nova, interior do então município de Bagé, e que hoje pertence ao município de Aceguá.

- Quanto aos tratores...  no canto esquerdo um alemão dos anos 50, Urus Allrad 4x4, sem capô. No centro da foto um Fordson Major inglês também dos anos 50. O avô da turma com rodas de ferro, sem capô, sem motor e sem radiador eu arrisco ser um Massey Harris, ou até um John Deere dos anos 30, início da mecanização do Rio Grande do Sul.

- Na turma do fundo temos os presentes, Volvo da Suécia, talvez um MAN alemão, e dentro da garagem um Hanomag talvez R45 também da Alemanha. E no canto direito, passando quase despercebido entre o pneu do Hanomag e o paralama do Massey Harris, aparece a frente de um trator Lanz Bulldog ou Ursus, notada pelos radiadores, e faltando o escapamento, que talvez estivesse fora para a manutenção. Essa turma toda data lá do meio pro final da década de 50.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Relíquias do Brasil - Parte XX - Le Roi TractAir



- O Brasil inciou tarde sua mecanização agrícola. Enquanto outros países eram pioneiros na produção de máquinas para a agricultura, o Brasil ainda as importava, sendo o crescimento de nossa agricultura dependente da mecanização estrangeira. Isso fez com que no Brasil possam ser vistos tratores antigos de variadas nacionalidades e marcas. Desde os símbolos americanos como John Deere, Farmall, Case, Ford, até os tratores que marcaram os europeus, como os Lanz Bulldog, Deutz, Hanomag, Ferguson, Fordson, etc.

- Mas dentre essa tratorzada toda que foi importada décadas atrás, existem alguns modelos muito mais raros, cuja importação não deve ter passado de dezenas de unidades, ou menos.

- Uma questão importante de se levar em conta é o fato de alguns desses raros exemplares não terem sidos oficialmente importados por algum representante brasileiro, mas sim, terem entrado no país pela fronteira com Argentina ou Uruguai, ou na maioria das vezes, trazidos "na mala" pelos imigrantes que vieram para o Brasil em busca de um futuro melhor.
  

Relíquias do nosso Brasil – Le Roi TractAir


- Ao que tudo indica a empresa americana Le Roi fabricava motores estacionários e compressores de ar, e acabou se aventurando na produção de tratores. Tudo começou com a empresa americana Central Tractor Company of Greenwich que começou a montar tratores equipados com motores Le Roi. Alguns destes tratores eram equipados com compressores de ar voltados para serviços industriais. Infelizmente a empresa se afundou em dívidas e foi onde a Le Roi passou a assumir a produção dos tratores. Em 1954 a Le Roi é comprada pela WABCO (Westinghouse Air Brake Company) e em 1960 é produzido o Le Roi Tractair 125.

- O modelo azul da foto abaixo pertence ao museu de tratores da empresa Agromen e desconheço informações sobre a história deste trator aqui no Brasil.



quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Fotos: Tratores antigos na Showtec 2014


- A ASCOMAR esteve presente na Showtec 2014, na cidade de Maracaju - MS, com grande parte do seu acervo. Confiram algumas fotos que retirei da página https://plus.google.com/photos/+RicardoRissmann/albums/6054427286954985617?banner=pwa

-IH Farmall, MAN Ackerdiesel, Fiat.

- Locomóvel vapor Lanz.

- Fordson Major e trilhadeira.

- Caterpillar D2, Farmall Super MD-TA, Fiat 211

- Fordson Dexta, Allis Chalmers, Ford Naa, Deutz, Fendt...

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Fotos Antigas: Dois Valmet 80 da P.M. de Guaraci - PR



- Entrega de dois tratores Valmet 80 da Prefeitura Municipal de Guaraci - PR. Estes foram os primeiros tratores "grandes" lançados pela marca, na cor vermelha e detalhes brancos. Grandes porque até então a Valmet fabricava seus modelos com até 60 c.v de potência.

- A foto retirei da página Fotos Antigas de Guaraci no Estado do Paraná, no Facebook.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

International Harvester Titan 10-20 1920

- O passado desconhecido desse trator tomou um rumo diferente essa semana, quando o amigo Edson Vidal, do Heavy Machinery Museum, me enviou a propaganda abaixo e mudou todo nosso conhecimento sobre esses tratores mais antigos que vieram ao país.

- A propaganda prova que os tratores International Harvester modelo Titan foram vendidos no Brasil pelos "Únicos Agentes" HASENCLEVER & COMP. situados tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro.


- Após ser vendido pelos Hasenclever (provavelmente), nos anos da década de 20, toda a história deste IH Titan de número de série T.Y. 54413 é desconhecida. Foi então que ele (re)apareceu em um anúncio de classificados na internet, no meio do ano de 2011. O trator estava em uma propriedade rural, certamente uma fazenda muito antiga, entre os municípios mineiros de Bambuí e Formiga - MG.



- Com o aparecimento e as fotos, foi difícil acreditar que ainda existia aqui no Brasil um trator desses. A imaginação corria solta em saber como o trator foi parar lá e quem o teria importado. Lembro-me que na época mostrei para vários amigos o anúncio.
- Logo o trator foi comprado, resgatado e restaurado esteticamente pelo colecionador Luiz de Andrade da cidade de Barretos-SP, que infelizmente hoje não se encontra mais entre nós.


- Novamente a história deste IH Titan muda. Com o falecimento do sr. Luiz no início de 2012, os tratores de sua coleção foram vendidos e este Titan foi parar no acervo do museu de tratores da empresa Agromen em Orlândia - SP, onde encontra-se até hoje! Quem sabe algum leitor veja esse post e nos conte mais sobre o único Titan do Brasil.


** Contar a história deste trator foi uma forma de homenagear o grande amigo que foi para mim, e para todos que o conheceram, o senhor Luiz Carlos Gomes de Andrade, ou simplesmente Lú.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Fotos Antigas: Allis Chalmers em Bento Gonçalves - RS

- Trator de esteiras Allis Chalmers modelo HD 10 trabalhando no prolongamento das ruas Olavo Bilac e Barão do Rio Branco na cidade de Bento Gonçalves, estado do Rio Grande do Sul, nos anos de 1953 e 1959.

- As belas fotos que mostram a máquina "nova" vieram da página www.memoriasdebento.com.br que reúne fotos antigas da história do município.




sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Propagandas Antigas: TURNER - Um trator ideal para sua lavoura

- Vossa senhoria também pode confiar em um Turner! Com motor diesel de 40 H.P. Eficiente! Econômico! Um trator ideal para sua lavoura!


- Já não se fazem mais propagandas como antigamente! Simples, diretas, focadas no próprio agricultor interessado em saber as qualidades da máquina. 

- O trator Turner era representado pelo Éste Asiático - Comércio e Navegação Ltda. (Seção de máquinas) que como a maioria dos representantes de máquinas agrícolas ficava na rua Florêncio de Abreu em São Paulo.

- Apesar do nome do seu representante a marca Turner é de nacionalidade inglesa, e infelizmente, não se tem notícia de nenhum trator sobrevivente aqui no Brasil. A foto retirei do arquivo do Heavy Machinery Museum no Facebook.


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Propagandas Antigas: Casa Mayrink Veiga S.A.

- Coincidente com a postagem de ontem, sobre a ATC - American Tractor Corporation e seus tratores TerraTrac presentes no Brasil, retirei do Heavy Machinery Museum no Facebook esta bela propaganda da Casa Mayrink Veiga S.A. datada de Julho de 1950.

- A casa Mayrink Veiga representava a ATC diretamente de Nova Iorque e a propaganda chamava para o recém lançado TerraTrac DT-34 Diesel agrícola, equipado com motor Buda Diesel de 34 H.P., além de rolamentos Tinken e engrenagens Clark.

- Muito interessante também a nota de rodapé dizendo que o trator fora testado na Fazenda Ipanema e em Campinas (provavelmente no IAC) por dois órgãos diferentes, um federal, o Ministério da Agricultura, e um estadual, a Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Relíquias do Brasil - Parte XIX - ATC TerraTrac


- O Brasil inciou tarde sua mecanização agrícola. Enquanto outros países eram pioneiros na produção de máquinas para a agricultura, o Brasil ainda as importava, sendo o crescimento de nossa agricultura dependente da mecanização estrangeira. Isso fez com que no Brasil possam ser vistos tratores antigos de variadas nacionalidades e marcas. Desde os símbolos americanos como John Deere, Farmall, Case, Ford, até os tratores que marcaram os europeus, como os Lanz Bulldog, Deutz, Hanomag, Ferguson, Fordson, etc.

- Mas dentre essa tratorzada toda que foi importada décadas atrás, existem alguns modelos muito mais raros, cuja importação não deve ter passado de dezenas de unidades, ou menos.

- Uma questão importante de se levar em conta é o fato de alguns desses raros exemplares não terem sidos oficialmente importados por algum representante brasileiro, mas sim, terem entrado no país pela fronteira com Argentina ou Uruguai, ou na maioria das vezes, trazidos "na mala" pelos imigrantes que vieram para o Brasil em busca de um futuro melhor.



Relíquias do nosso Brasil – ATC TerraTrac


ATC - As iniciais de American Tractor Corporation, que mesmo nos Estados Unidos, país de sua origem são usualmente lembradas por TerraTracs. A ATC produzia tratores de esteira com a marca TerraTrac. Em 1956 se fundiu com a Case e passou a integrar a linha de esteiras industriais da marca. O modelo abaixo está no Brasil, mas desconheço maiores informações sobre este ou outros modelos que vieram para o país.