sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

História: Tratores do Brasil S.A.

- A palavra tratores e a palavra Brasil são vistas com frequência no blog. Sempre dei valor aos tratores antigos que trabalharam em nosso país, e isso resultou em postagens como: O primeiro trator brasileiro, o trator mais antigo do Brasil, entre outras.

- Desta vez o tema novamente é: Tratores do Brasil. Porém desta vez como uma "marca" registrada - Tratores do Brasil S.A.
- Diretamente do blog: http://hm-museum.blogspot.com - Heavy Machinery Museum, do amigo Edson, retirei as informações abaixo sobre a empresa Tratores do Brasil S.A.. Mesmo o foco principal do blog ser os tratores agrícolas, coloco aqui a história desta empresa, que mesmo em grande parte sendo estrangeira, escolheu um nome 100% nacional para sua operação no Brasil!

- A Tratores do Brasil S. A. foi uma empresa subsidiária da LeTourneau-Westinghouse Company, fabricante de máquinas para terraplenagem no município de Sumaré, comarca de Campinas. Foram 28 anos de fabricação em solo brasileiro, até que, em 1982, a empresa foi adquirida pela Müller S. A.

- Os registros mais antigos de máquinas LeTourneau no Brasil, datam do ano de 1937, quando chegou ao nosso país, um Le Tourneau Carryall Scraper, tipo Y, com capacidade de 12 jd³, montado sobre 4 pneus de 18x24 e um Le Tourneau Rooter, tipo Heavy Duty.

- Ambas máquinas eram rebocados por tratores que controlavam os seus movimentos. O primeiro modelo era aplicado no transporte de materiais por ela excavados e carregando-se a medida que vão sendo recocado. O segundo modelo era aplicado na escarificação de terrenos duros e no dilaceramento de raízes e tocos.
- Essas modernas máquinas foram usadas em Mogi Mirim - SP na construção do ramal de Conchal pelo DER. O Sr. Ranulpho Pinheiro Lima, secretário da Viação e Obras Públicas, ficou impressionado com as máquinas, ao assistir as experiências realizadas, que, segundo ele, foi a melhor possível.
- Outro registro de 1941, mostra-nos o serviço de máquinas LeTourneau na construção do prolongamento dos trilhos da E. F. A. (Estrada de Ferro Araraquara) a Porto Presidente Vargas, ligando importante zona ao Porto de Santos.
- Nesta importante obra, destacam-se 08 carryalls LeTourneau e outras duas máquinas do mesmo fabricante. Outras 03 (três) unidades motrizes, denominados "Tournapulls", modelo C - equipado com carryalls modelo "LS" de 11 jd³, nas quais os visitantes da obra tiveram a oportunidade de ver em funcionamento, vieram pela primeira vez à América do Sul, sendo introduzida como pioneira na construção da E. F. A..
* A representação brasileira
- Em 1941, a Lion & Cia. Ltda foi nomeada como representante exclusiva para os Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso da R. G. LeTourneau Inc. e outras marcas (La Plant-Choate Mfg. Co., Willamette Hyster Co., etc). Em 1944, a Sociedade Thela Comercial Ltda., foi distinguida com a representação da R. G. LeTourneau Inc. para os Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Goiás. A representação no Brasil compreendido pelos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Distrito Federal, foi confiada à Geovias Ltda.
- Tournapulls, tournatrailers, angledozers, bulldozers, scrapers, guindastes, rooters e guinchos eram distribuídos no Brasil.

 * A subsidiária brasileira
 - Em 23 de dezembro de 1953 era fundada a Tratores do Brasil S. A., filiada da LeTourneau-Westinghouse Company, Peoria, Estados Unidos. Eram diretores da empresa: Afranio Affonso Ferreira (diretor-presidente), Frank Harold Weis (diretor-secretário), além de Gentil Faria de Andrade e Raul Guedes de Mello (diretores).
 - A sede social da empresa era situada na Rua Visconde do Rio Branco, 301, 2º andar, sala 201, na cidade de Campinas.
* O anúncio da fábrica
- O anúncio oficial da construção da unidade fabril foi feita pela LeTourneu-Westinghouse Co., em Peoria, Illinois, Estados Unidos, conforme divulgado pela imprença em março de 1954. A empresa adquiriu na estrada de Limeira, dentro do município de Campinas, um terreno de 108.000 m², sendo a única no gênero no continente latino-americano.
- Conforme divuldado em setembro de 1954, com a execução do primeiro pavilhão (em andamento), o início de suas atividades eram incertas. Até essa data mencionada, havia um pedido de licença de importação das máquinas na SUMOC, aguardando autorização. Aos 23 de maio de 1955, a empresa comunicou a transferência de sua sede social para o edifício, recentemente construído, da fábrica na Via Anhanguera (trecho Campinas a Limeira).

- Em setembro de 1955 a empresa concluiu a construção de seus pavilhões (aparelhagem da unidade), entrando em produção no ano seguinte. Há quem diz, que em 1955, a empresa dava início a produção nacional, fornecendo peças de reposição e em seguida, a fabricação de alguns ítens das máquinas.
* A primeira máquina nacional
- No dia 15 de março de 1956, a Tratores do Brasil S. A. entregou as três primeiras máquinas fabricadas no Brasil, os tournarockes, de 22 toneladas. Robert L. Wollberg (diretor-gerente) da Tratores do Brasil, saudou os presentes e manifestou seu apreço e gratidão em entregar as primeiras unidades brasileiras.
- As 03 máquinas foram entregues a empresa Cavalcanti Junqueira S. A. que foram utilizados na construção da barragem do Rio paraíba, da Light & Power, em Santa Branca, São Paulo.
- Os tournarockers eram constituídos por duas partes: o tournapull (cavalo mecânico) e o Rear Dumps (este construído no Brasil).
- A fábrica de Tratores do Brasil S. A. era situada à Via Anhanguera, Km 106, cidade de Sumaré, comarca de Campinas, SP.
* A caminhada da empresa
- No dia 21 de novembro de 1956, a Tratores do Brasil entregou a Cia. Construtora de Estradas, dois tournapulls, equipados com "rear dumps". 


- Nesse ano, iniciou a produção de motoniveladoras ADAMS no Brasil. Dentre as suas características técnicas e funcionais, as primeiras motoniveladoras constituiram um marco decisivo no desenvolvimento do Plano Rodoviário Nacional.
- Diz um anúncio de outubro de 1957, que 88% dos elementos que integram a maior parte dos equipamentos da Tratores do Brasil S. A. são absolutamente nacionais. Em 1958, foi concluída a primeira etapa das obras de ampliação da unidade brasileira. Até agosto de 1958, por exemplo, o Brasil contava com 08 (oito) rede de distribuidores. Talvez, um dos distribuidores que mais se destacaram foi a Thela Comercial S. A..
- A Thela Comercial entregou a Construções e Comércio Camargo Corrêa S. A. o maior trator-pusher, o Twin C, fabricado pela LeTourneau-Westinghouse Co., além de disponibilizar para pronta entrega, a motoniveladora Adams 550.
- Os scrapers CT e DT (rebocáveis de 18 e 11 jd³), tournapulls C, tournatractors C e o dumptors 60, eram exemplos de máquinas fornecidas em nosso país.
- Em agosto de 1962, Tratores do Brasil S. A. apresentou o primeiro tournapull modelo C, nacional (constituído por componentes nacionais). A máquina tinha motor de 290 hp. e 2100 rpm, atingindo velocidade de até 40 km/h e pesava 20441 Kg (45000 Ib).
- A linha nacional da empresa, ademais do modelo apresentado, era compreendida pelo rolo compactador pé-de-carneiro W-2, os scrapers (CR, CT, BT, DT e DM) e os moto-escrêiperes Hancock C e D (que entraram na linha de produção a partir de 1963). Aos poucos, novos modelos de equipamentos foram introduzidos na linha de montagem brasileira.
- Em 1965, a Thela Comercial entregou a S. A. Paulista de Construções e Comércio a primeira de uma série das unidades "tournapull C" auto carregável, modelo 222, chegada ao Brasil.
- Essa máquina foi enviada a trabalho em São Manoel, na conclusão do trecho Igualdade - Santa Maria da Serra, que liga estas localidades à BR-34., além de colocar na Rodovia D'Oeste outra máquinas, do mesmo tipo, em demonstração.


- Até julho de 1969, a linha de máquinas para terraplenagem nacionais, eram constituídas por 05 modelos básicos: 2 tournapulls (séries diferentes), o trator-scraper C222F e 229F; e o scraper CT. O modelo Auto Carregável C222F tinha 318 hp e 21 jd³ de capacidade.
* A Wabco Brasil Equipamentos S. A.
- Aos 13 de abril de 1970, a Tratores do Brasil S. A. alterou sua razão social para Wabco Brasil Equipamentos S. A. e, posteriormente, em 16 de outubro de 1970, alterou para Wabco Brasil Equipamentos Ltda. Nesta época, a empresa abriu uma filial na capital paulista à Avenida Mofarrej, 401.


 * O desfecho da história
- Em 24 de setembro de 1982, a Müller S. A. assinou contrato de compra da empresa Wabco Brasil Equipamentos Ltda. Foram exatamente, 28 anos (1955 - 1982) de fabricação de equipamentos LeTourneau-Westinghouse e Wabco na América do Sul.
 

5 comentários:

João Silvio disse...

Sou de Campinas e me lembro da fabrica da Wabco com as maquinas em exposição na frente.
Conheço alguns detalhes interessantes sobre a tratores do Brasil.
Alguns de seus diretores que implantaram a fabrica no Brasil, eram protestantes e a igreja que frequentavam nos EUA, não existia no Brasil. A pedido deles a missão da Igreja enviou um missionário americano que falava português, chamado Earl Mosteler. Ele iniciu a Igreja do Nazareno do Brasil, uma importante denominação protestante, muito conhecida especialmente na região de Campinas.

Huber Warco disse...

Bah Gente, me criei vendo as motoscraper da WABCO em especial a modelo 222 que pertencia a construtora MENEGUSSO que fez a terraplanagem e o asfaltamento da BR 287 no trecho que passa por Santa Maria RS. Quanta saudade dessas máquinas, eu tinha uns 6 anos mas nunca esqueci do barrulho do motor detroit e do barulho da esteira elétrica que elas faziam. Meus parabéns pela iniciativa de divulgar essas empresas. Um forte abraço a todos,

Huber Warco disse...

BaH Gente me criei vendo as motoscraper da WABCO em especial a modelo 222 que pertencia a construtora MENEGUSSO que fez a terraplanagem e o asfaltamento da BR 287 no trecho que passa por Santa Maria RS. Quanta saudade dessas máquinas, eu tinha uns 6 anos mas nunca esqueci do barrulho do motor detroit e do barulho da esteira elétrica que elas faziam. Meus parabéns pela iniciativa de divulgar essas empresas. Um forte abraço a todos,

eduardo disse...

No final da década de 70, eu passava em frente a fábrica da Wabco. Havia algumas máquinas exposta de frente para a rodovia Anhanguera. Em 1986 tive a oportunidade de trabalhar na Muller, antiga Wabco. Fabricávamos um modelo menor do caminhão fora de estrada herdado da tecnologia da Wabco e um outro modelo de trator modelo Muller. Foram bons tempos até que em julho de 1990 sai da empresa e um ano depois a empresa fechou devido a impactante forma de governo do presidente Fernando Collor de Melo. Nesta época iriamos lançar um modelo maior de caminhão fora de estrada o D-350 que custava por volta de U$550.000,00.Porém,como a economia estava em uma boa fase, a unidade Muller de Sumaré fechou e a fabricação de equipamentos foram para a matriz da Muller no Rio de Janeiro. Foram bons tempos. Eduardo

eduardo disse...

No final da década de 70, eu passava em frente a fábrica da Wabco. Havia algumas máquinas exposta de frente para a rodovia Anhanguera. Em 1986 tive a oportunidade de trabalhar na Muller, antiga Wabco. Fabricávamos um modelo menor do caminhão fora de estrada herdado da tecnologia da Wabco e um outro modelo de trator modelo Muller. Foram bons tempos até que em julho de 1990 sai da empresa e um ano depois a empresa fechou devido a impactante forma de governo do presidente Fernando Collor de Melo. Nesta época iriamos lançar um modelo maior de caminhão fora de estrada o D-350 que custava por volta de U$550.000,00.Porém,como a economia não estava em uma boa fase, a unidade Muller de Sumaré fechou e a fabricação de equipamentos foram para a matriz da Muller no Rio de Janeiro. Foram bons tempos. Eduardo