sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Arado antigo John Deere

- Resolvi contar sobre a reforma deste arado pois acredito que muitas pessoas não imaginam o trabalho que é necesário para se reformarem certas peças, tratores, carros... enfim, a enorme diferença entre o estado em que se encontravam e o resultado final do trabalho.
- No mês de outubro de 2009, eu comprei e fui buscar numa fazenda em Pindamonhangaba-Sp um arado antigo da marca John Deere. Na realidade, eu havia visto o arado meses antes quando fui até a fazenda, buscar dois tratores, mas esta é outra história.
- Ao comentar com um amigo sobre o arado e mostrar a ele algumas fotos, ele me sugeriu que poderiamos trazer o arado desmontado em uma caminhonete. Então após negociar com o dono, fomos buscar o arado.


- Quando vi o arado imaginei ser da marca John Deere pelas aivecas e pelas rodas e também porque um senhor amigo dos donos da fazenda, e que ajudou a desmontar e carregar, contou que este arado era puxado por um tratorzinho de esteira John Deere MC na fazenda.
- Quando começamos a desmontar o arado, para minha surpresa encontrei os escritos John Deere, e também o escrito do modelo do arado: 202 H Two Way. O arado estava bem enferrujado, mas era possível ver restos da cor verde e do amarelo (quase branco) das rodas e escritos. Outra coisa boa foram as porcas quadradas do arado que soltavam facilmente, não sendo necessário usar muita força ou cortá-las com maçarico.



- Antes de descarregar o arado, pesei a carga total que trouxemos. O resultado foi 1200 kgs na caminhonete, incluindo o arado, ferramentas, rodas e pesos de lastro de um trator.


- Ao iniciar a "reforma" resolvi levar o arado para o jateamento completo, o que depois de feito, vi que colaborou muito para que o serviço final ficasse bem feito. Antes de jateá-lo também tirei fotos dos escritos da marca e modelo do arado com uma régua para poder reproduzir na mesma medida os escritos.
- Por sorte também, encotrei na loja de tintas o catálogo com as cores verde e amarelo da John Deere que deixaram a pintura ainda mais original.






- Para reproduzir os escritos como os originais, mandei fazer adesivos vazados, que funcionavam como formas para a pintura de amarelo. Aqui uma curiosidade. O rapaz da gráfica para reproduzir o veado do símbolo da JD no adesivo se enganou e usou o símbolo usado pela JD após o ano 2000. Fui notar isso somente após postar as fotos da reforma em um fórum e um rapaz perguntar porque troquei o símbolo da John Deere antigo pelo novo.
- Nas rodas, optei por cortar dois pneus e colocar a borracha nas rodas de ferro, pois iria arrastar o arado no asfalto e cimento.





- Depois de pesquisar na Internet descobri ser este arado um modelo 202H Two Way, ou seja, de ida e volta. Seria o mesmo que um arado reversível, porém este arado tem quatro aivecas e trabalha com somente duas. Ao retornar, ergue-se as duas de um lado e abaixa-se as outras aivecas e retorna-se na mesma linha. Ele tem um pistão hidráulico, o que era meio difícil de ser ver naquela época (início dos anos 50) em implementos, principalmente aqui no Brasil.


- Falando em pistão hidráulico, para consertá-lo foi outra novela. O pistão ainda tinha óleo dentro, porém como a haste do pistão ficou esticada, ela enferrujou. Mandei o pistão para uma empresa especializada neste serviço, e para minha surpresa o preço para deixar o pistão funcionando era maior do que o que paguei pelo arado. Resolvi por hora deixar o pistão de lado, mas por sorte um mecânico me ajudou dizendo ser necessário somente uma haste nova, que me custou 180 reais, o resto ele se propôs a arrumar.
- Para arrumar o pistão apenas "calçamos" os reparos do pistão que já estavam gastos, e colocamos a haste nova. Após isso comprei duas mangueiras novas e engates rápidos atuais, pois os do arado eram diferentes e exclusivos dos JD antigo. Finalizando então, o conserto do pistão com a haste nova e as mangueiras, acabou por custar mesmo mais do que paguei pelo arado. Mas valeu a pena.







- Após tudo finalizado e o arado montado foi hora de acertar os detalhes finais. Comprei novas molas bem parecidas com as originais e troquei os bicos de engraxar por novos.
- Infelizmente ficou faltando um disco de corte, que ele não tinha, e alguma peça do sistema de desarme automático do arado.
- Ainda não coloquei o arado para "trabalhar", talvez nem o coloque, mesmo que apenas como curiosidade.

- Todas as fotos da reforma do arado podem ser conferidas em: http://picasaweb.google.com.br/TratoresAntigos/AradoJohnDeere02

- Vídeo do arado em funcionamento:

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns por esse magnífico trabalho de restauração!
Ou melhor,ressurreição!

ONE

Mirna disse...

Meu pai tem um campo e vai sempre comprar novos tratores. Eu acompanhei-o, e quando ele olha tratores, eu compro Bebedouro para Cães para meus cães que eu amo haha