sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Restaurações: CBT 2400 - 1976

- Primeira postagem do ano e resolvi contar a história da reforma de meu trator CBT modelo 2400, desde o seu descobrimento até o término da restauração!


- A CBT - Companhia Brasileira de Tratores, foi uma empresa nacional situada em São Carlos-SP, que iniciou sua produção com uma versão nacionalizada do trator Oliver 990 americano. Era praticamente o mesmo trator que o norte americano, porém equipado com um motor nacional Perkins ou Mercedes. Em 1976 a CBT inovou ao lançar sua linha 2.000. E o modelo que inaugurou essa linha foi justamente o 2400, trazendo um novo motor, inédito até então! Era o GM Detroit, ou "gmc marítimo", um motor diesel de quatro cilindros e ciclo dois tempos, com compressor de ar tipo blower (soprador) e 120 cavalos nessa versão que equipou o trator. Muitos diziam que era turbinado, mas não era. O soprador faz parte vital do funcionamento do motor detroit, tanto que existem motores detroit turbinados, com o soprador e mais uma turbina de caracol na saída do escapamento. E foi com esse motor de ronco único que a CBT ofereceu no mercado o trator mais possante do Brasil para aquela época!


CBT 2400 - 1976 - chassis 000118

- Encontrei esse trator na cidade de Jaú-SP, quando fui até lá para ver um subsolador antigo da John Deere. Ao entrar no quintal onde eles estavam, notei o trator e pouco me importei com o implemento. Me chamou atenção pois não era apenas mais um velho CBT como muitos que vemos por aí. Negociei o subsolador e aquele 2400 não saiu mais da cabeça.



- Conhecia esse modelo da CBT apenas por algumas fotos e catálogos da internet. Nunca havia visto um ao vivo. Quando retornei para buscar o subsolador JD, fiquei analisando o trator e mesmo com o motor travado vi que ele tinha detalhes originais difíceis de se encontrar. Primeiramente por ser um modelo 2400 ainda com o motor original Detroit 4-53 (isso em pleno 2012, sendo que 99% desses tratores tiveram seu motor detroit substituído por motores mercedes). Segundo que mesmo bem judiado era um trator original ainda com a plaqueta e numeração de série baixa, um dos primeiros fabricados, além de ter a pintura original com os adesivos, hidráulico traseiro e filtro de ar originais, rodas, enfim, um trator que trabalhou e foi encostado. Faltava o escapamento, exclusivo desse modelo, e por causa dele, cheguei a ir procura-lo na antiga fazenda onde o CBT fora aposentado.

- Acabei por comprar o trator em outubro de 2012, e aqui começou toda saga de reforma. No início muitos palpites errados de amigos quase fizeram com que realmente eu trocasse o motor dele por um Mercedes, fácil de encontrar peças e consertar, porém como estava trabalhando em outros projetos de reforma, apenas abri o motor dele e encostei. O próprio tempo, ou até mesmo o próprio trator foram fazendo com que a restauração fosse para um caminho de total originalidade.



- Quando estive na fazenda do primeiro e único proprietário desse CBT, à procura do seu escapamento original, ouvi de um dos funcionários que por ter um motor diferente, não eram todos que gostavam de trabalhar com ele. E em uma determinada ocasião, ele simplesmente parou em pleno trabalho, e o encostaram. Alguém deve ter tirado o escapamento para usar em outro trator e os anos de sol e chuva completaram o seu total abandono.

- Fato curioso que acabei por descobrir depois foi que se ele realmente parou durante o trabalho na fazenda, e o encostaram, o motor devia ter alguma quebra, ou fundido. Mas não estava. Estava completamente cheio de água, sujo, porém inteiro! Talvez estivesse fraco por desgastes dos anéis e então resolveram deixar o 2400 de lado. Anos depois descobri que o filtro de ar dele datava de 1982! 

- No ano de 2013 fiz pouco progresso na reforma, mas avancei bem no sentido de fazê-lo como saiu da fábrica. Inicialmente consegui duas rodas dianteiras aro 18 originais e praticamente sem uso. Vieram de um Valmet 85 mas são as mesmas rodas, mesmo fornecedor na época para ambas as fábricas. Em seguida restaurei todo o eixo dianteiro, fazendo o embuchamento e mantendo os cubos dianteiros originais dos CBT, com dois pinos.

- Nesse ano consegui também comprar um motor Detroit 4-53 porém de caminhão para servir de doador de peças. Foi aqui que vi algumas diferenças nestes motores de trator e de linha automotiva. Posição do filtro de óleo, alternador e outros itens é diferente. Além do motor de partida no CBT ficar em cima da embreagem e virar ao contrário. Mesmo assim aproveitei cabeçote e mais algumas peças desse motor de caminhão. Ainda consegui também fazer funilaria nos para-lamas e começar a encontrar peças originais CBT de estoque antigo em oficinas e auto peças que foram representantes da marca. Isso me animou a seguir com foco em fazer o trator sempre o mais original possível.

- No início de 2014 revisei toda a parte do câmbio e diferencial com troca de alguns rolamentos e todos os retentores. Pelo excelente estado do câmbio também chegamos a conclusão que o trator devia ter mesmo as dez mil e poucas horas que marcava no horímetro. Porém como em todo CBT, os pinhões da redução já estavam machucados e mandei encher. Após, inverti o lado das duas peças para que o lado recuperado ficasse para a marcha ré onde faria menos esforço.

- Através de conversa com amigos que já conheciam os motores Detroit acabei encontrando e comprando as peças para recuperar o motor no meio do ano, e no mês de setembro de 2014 o CBT 2400 de número de série 000118 roncava novamente. Após desmontar todo o motor, acabei por trocar camisas e anéis, mantendo os pistões originais que estavam em bom estado. Virabrequim e bronzinas estavam em bom estado e não foram trocados. Na parte de injeção troquei os quatro elementos injetores que são bico e bomba juntos, e também a bomba alimentadora do sistema nova. O restante foram retentores, alguns rolamentos, óleo, filtros, etc.




- Chegou o ano de 2015 e o projeto CBT 2400 estava atrasado. Minha meta era ter participado do Trekker Trek na cidade de Holambra-SP em 2014 o que não ocorreu. Pra 2015 corri contra o tempo colocando pneus novos, e acertando diversos itens que não havia mexido até então: embreagem, parte elétrica, painel, direção, radiador, hidráulico. Consegui deixar o trator mecanicamente pronto, faltando somente pintura nova, e então fiz algumas horas de serviço com ele arrastando grade de 16 discos para o amaciamento do motor novo.


- Participei no mês de agosto da competição em Holambra na classe de até 5.500 kgs com um trator de 40 anos e motor todo original com 120 cavalos, concorrendo com outros tratores de até cinco vezes mais potência. Porém meu intuito não era competir e sim ver o resultado de todo trabalho mecânico que havia feito nele. Lógico que se houvesse uma classe específica para tratores originais minha satisfação seria ainda maior por poder comparar o CBT com outro trator original da época ou até com um atual.

- Em 2016 terminei outro trator que estava restaurando e no segundo semestre do ano iniciei a desmontagem completa do CBT para iniciar a pintura. Muitos perguntavam se havia necessidade de tirar o motor para pintar, ou porque zincar todos os parafusos, mas até ali, ao concluir a fase mecânica da restauração, eu já havia encontrado inúmeras peças originais, escapamento, faixas e adesivos, banco, faróis, tudo original da época, algumas peças sem uso ainda na embalagem da CBT, e isso mostrava que o serviço de pintura teria que ser feito no capricho.




- E finalmente em 2017 consegui terminar o trator e deixá-lo o mais perto possível de quando saiu da fábrica no distrito de Água Vermelha e foi para a empresa Marka veículos em Jaú, revendedor CBT naquela época para a região. Um amigo colecionador me contou que lembra perfeitamente ter visto um CBT 2400 no ano de 1976 na revenda em Jaú, e na época poucos agricultores se interessavam por ser uma novidade com aquele motor. Do revendedor em Jaú, este 2400 foi trabalhar na fazenda onde ficou por 36 anos, até que viesse parar em minhas mãos e em cinco anos mais tarde ficasse reluzindo como se estivéssemos voltado no tempo, para o ano de 1976.





2 comentários:

Anônimo disse...

Um magnífico trabalho de restauração e preservação da história, parabéns e obrigado!

jonas silva disse...

bonito trabalho...parabens..aprendi a gostar de trator quando comprei uma chacara em Limeira-sp e tive um MF 65x. Num sitio vizinho tinha um trator amarelo grandão, abandonado num barracão. Creio que seria um CBT 2400