terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Zetor 25 A 1957

- Essa história é o exemplo que deveria ser seguido por grande parte dos agricultores do nosso país! Trocando as palavras, nada melhor do que relembrar a memória de infância de um trator com o próprio "resgate" desse trator.


- O personagem da história é um velho conhecido no Brasil: um Zetor 25 A ano 1957. Muitas pessoas que tiveram relação com a agricultura no passado certamente vão se lembrar do "Zetorzinho", nome este em função dele possuir um irmão maior o Zetor 50. Produzido na então Tchecoslováquia, foi importado pelo Brasil desde 1950 até 1960 nas versões "A" e "K" que era a versão de rodas altas e finas. 

- Desde os primeiros modelos até os últimos que vieram ao país, pouca coisa mudou. Alguns detalhes como banco, filtro de ar, eixo dianteiro, cores,  mas o trator em si foi praticamente o mesmo nos 10 anos de venda no Brasil.

- O Zetor da postagem de hoje pertence ao sr. Getúlio Matsumoto, e sua relação com o trator vem de longa data. Entre 1959 e 1960 Getúlio ainda era criança e seu pai comprou um Zetor 25 A para trabalhar na propriedade da família. 

- O trator trabalhou no sítio dos Matsumoto por mais de 10 anos, até que na década de 70 a família adquiriu um trator de porte maior, e o Zetor recebeu sua merecida aposentadoria, ficando por mais uns 15 anos parado no sítio, até que infelizmente teve que ser vendido.

- Getúlio relembra que todos os seus seis irmãos trabalhavam com o trator e inclusive todos aprenderam a dirigir pela primeira vez com o Zetor!  "Como na minha infância e juventude não tínhamos carros, era ele que nos levava até a cidade e também aos bailes e cinema, nos filmes que passavam nas comunidades japonesas na zona rural.  Confesso que é um trator de pequeno porte  mas muito valente, e corre muito. O Zetor me deixou muita saudade, e,  de uns 10 anos para cá, fiquei com desejo de ter novamente um trator Zetor 25,  igual aquela que tínhamos na minha casa. Foi então que decidi que, se encontrasse um, mesmo que em situação precária, iria comprar e restaurar!" conta Getúlio.



- Aí que entra em cena o Zetor das fotos acima, que foi comprado pelo Getúlio na cidade de Álvares Machado-SP, e hoje se encontra nos detalhes finais de uma perfeita restauração feita por um amigo na cidade de Rancharia-SP.  Depois de pronto ele será levado de volta ao sítio da família onde todas as aventuras e memórias com o trator aconteceram! 


- E como o próprio Getúlio finaliza: "Para mim é um sonho que está sendo realizado!". 

- Eu gostaria de completar sua frase e dizer: Você tornou uma memória viva! E deixará para o futuro uma grande obra! De muitos valores, sentimentais, familiares, lembranças boas, muito suor, muito trabalho, e não somente um trator, mas uma grande obra onde todos irão olhar, relembrar, e sorrir pela felicidade de um trabalho bem feito!

3 comentários:

Fernando disse...

Parabéns, pela restauração um verdadeiro resgate.

Paulo Afonso disse...

Nós também tivemos um zetorzinho e agora me deu vontade de comprar um outro. Era bom de trabalho e de estrada. Tenho boas memórias dele nos anos 60. Lembro que tinha caixa alta (força) e caixa baixa (velocidade). Freios traseiros, com uma pequena tranca, que permitia a frenagem isolada de cada roda e possibilitava curvas bem fechadas em serviços de preparo de solo.

IZAVE/ ZETOR disse...

Foi o primeiro trator que tivemos na propriedade, aprendi dirigir neste zetorzinho, seis marchas a frente e duas ré, a sesta marcha é over drive ( não tem fim) a velocidade na época nenhum ultrapassava (na descida e no plano) na subida tinha que reduzir, trabalhavamos de dia e noite no preparo e ele nunca negava, saudades. hoje ainda temos um super 50 restaurado.