quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Fotos Antigas: Fábricas de tratores antigamente

- Depois de encontrar a primeira foto abaixo, (que coloquei também por um tempo como título do Blog), tive a idéia de reunir as fotos que tenho ligadas ao tema Fábrica de Tratores, tanto fotos de tratores nos pátios das fábricas antigamente, e porque não, do interior das fábricas.

- As fotos são de fábricas variadas, em períodos diversos, entre décadas de 1950 a 1970. Lembrando que algumas fotos eu já havia postado no blog anteriormente.


- Tratores Zetor 25, modelos A e K, enfileirados no pátio da fábrica




- Interior da fábrica de tratores Ursus, mostrando a produção do modelo C-45




- Fotos do interior da fábrica de tratores UTB, e tratores UTOS 45 enfileirados no pátio da fábrica.








- Fotos da revista LIFE (algumas já publicadas em outras postagens do Blog), sendo elas: Tratores Farmall, tratores Caterpillar, interior de uma fábrica de motoniveladoras, tratores russos no interior na linha de montagem, tratores de esteira russos na linha de montagem e em frente a fábrica.



- Linha de produção da fábrica dos tratores Pampa argentinos. I.A.M.E. - Indústrias Aeronáuticas e Mecânicas do Estado (em português).





- A já nacional fábrica da Valmet, localizada em Mogi das Cruzes-SP. Nas fotos os tratores Valmet 360 enfileirados e na linha de produção.



- Tratores Deutz enfileirados em frente a fábrica da DEMISA - Deutz Minas S.A.




- Os tratores Ford "Brasileiro" 8-BR recém produzidos, e o novo modelo na cor azul, sendo montado na linha de produção.





- Os tratores CBT 1000 lado a lado no pátio da fábrica. E duas fotos mostrando o interior da fábrica da CBT - Companhia Brasileira de Tratores em São Carlos-SP.


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Vídeo: Antigo comercial do trator Ferguson

- Muito bom este vídeo antigo de um comercial do trator Massey Ferguson. Notem as placas de aviso, os carros, os agricultores, os costumes, os tratores, os implementos, tudo a sua época! Vvale a pena assistir!


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Fotos Antigas: Exposição agrícola de Guarapuava em 1974

- Foto da década de 70, na cidade de Guarapuava - PR, que retirei do Blog do Pato, jornalista esportivo que publica também algumas fotos antigas da cidade!

- Nesta foto de 1974, o trator nacional Deutz DM 55, novo, em exposição junto aos caminhões Mercedes e os implementos agrícolas da Massey Ferguson. Na placa os dizeres: "Guarapuava - Mecanizada com os tratores e implementos Massey Ferguson - Magparaná Ltda. - Ponta Grossa - Castro - Guarapuava".

- Notem também o cartaz/catálogo oficial da Exposição Agrícola daquele ano.



- Abaixo, mais uma foto que encontrei no blog do Pato com a descrição: "Compra da primeira niveladora de estrada em 1940, puxada pelo moderno trator da época". O trator acredito ser um Case. Uma pena a foto ser pequena.



terça-feira, 23 de outubro de 2012

Curiosidades: O Allis Chalmers mais veloz do mundo!

- Mesmo não sendo fã de provas onde os tratores são "modificados" para desempenharem papéis parecidos com o de automóveis, achei essas fotos antigas interessantes e coloco aqui no blog como curiosidade.

- Os estado unidenses tem idéia pra tudo, e lá pelos anos 30, o piloto Ab Jenkins marcou um novo recorde de velocidade com um trator Allis Chalmers. O trator era equipado com pneus Firestone (notem a placa de propaganda já naquela época), e a velocidade alcançada foi de 65.45 milhas por hora, ou aproximadamente uns 105 km/h, em 20 de setembro de 1934.








- A real história dos tratores recordistas de velocidade foi uma forma de "marketing" dos anos 30, da empresa Allis Chalmers Tractors e seu responsável o sr. Harry Merritt. A empresa começou a desenvolver pneus de borracha para seu trator Allis Chalmers modelo U, em uma época que os pneus de borracha já se mostravam uma inovação e uma corrida para quem conseguisse desenvolver a tecnologia primeiro.

- Em conjunto com a Firestone, diversos testes forem feitos. Inciaram usando pneus de aviões na traseira, e pneus de caminhões na dianteira, todos lisos, sem garras. O problema maior foi a pressão, que não dava o desempenho esperado ao trator, sendo que nessa parte ele perdia para a melhor tração dos tratores equipados com rodas de ferro. Foi em um destes teste que alguns engenheiros da Allis Chalmers resolveram baixar a pressão do pneu, algo simples, tendo como resultado um sucesso absoluto!

- Foi então que Harry Merrit começou a promover demonstrações em campo onde comparava os mesmos tratores Allis Chalmers U, um equipado com rodas de ferro, e outro equipado com pneus de borracha. Como as demonstrações agrícolas não atraíam público suficiente, Harry equipou alguns modelos de tratores com uma quarta marcha de alta velocidade, e contratou alguns pilotos famosos de carros de velocidade.

- A partir daí começaram diversos shows com os tratores velozes da Allis Chalmers. A partir de 1933 em diante, os pilotos Frank Brisko, Barney Oldfield e Ab Jenkins (do recorde acima) se exibiram para um público de mais de um milhão de pessoas em diversos shows pelo país. Frank Brisko marcou e mantém até hoje o recorde de velocidade com um trator, com a marca de 67.877 milhas por hora (aproximadamente 110 km/h).

- Mais do que um show de velocidade e o desenvolvimento dos pneus de borracha, a idéia de Harry Merritt foi uma bem idealizada jogada publicitária, que trouxe como resultado a associação do desenvolvimento de pneus de borracha para tratores à empresa Allis Chalmers até hoje!


- Mais três páginas que falam a respeito dos shows de velocidade dos  tratores Allis Chalmers e o recorde de velocidade:

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Curiosidades: A enxada e o Trator

“Nós brasileiros, pecamos por não dar o devido valor para com nossos costumes, para com as nossas tradições, por não registrarmos dados, fatos e datas importantes com relação à nossa história. Assim, quando sobram alguns registros, alguma lembrança, são sempre pedações de uma história mutilada, incompleta, distorcida e obscurecida pelo descaso ou inconsciência do seu valor prático, histórico e cultural no correr dos eventos, ou ainda, pelo nosso descompromisso para com o futuro” (VIRGILIO, 2003, p.11).

- O título acima se refere ao trabalho de Dissertação de Mestrado da jornalista e pesquisadora Joana Casturina da Silva, a qual me enviou seu trabalho que direta ou indiretamente, aborda o mesmo tema deste blog. O intuito de resgatar e tentar entender porque poucas pessoas dão valor ao nosso passado, nossa história, principalmente em nosso país Brasil, onde a agricultura foi a responsável pelo nosso desenvolvimento, pela vinda de famílias de imigrantes, pelo povoamento desse país! 

- A dissertação traça um histórico da agricultura no Brasil abordando os "objetos" desde o arado de tração animal a chegar na mecanização agricola com o emprego do trator. Um capítulo importante a parte a respeito da CBT - Companhia Brasileira de Tratores, sendo a primeira e unica (digamos assim) empresa a produzir um trator nacional. Fica aqui a dica para leitura da dissertação!






quarta-feira, 10 de outubro de 2012

John Deere B 1948

- Esta é a história da reforma do trator John Deere modelo B, ano 1948, que pertence ao amigo Antonio Carlos Canal, de Itaju-SP. Esta restauração é realmente aquelas em que, quando a pessoa vê o antes e o depois, não acredita ser o mesmo trator!

- Muitos devem conhecer este trator. Ele ficou por algum tempo a venda no site mercado livre. Estava na cidade de Pratápolis-MG, e certamente deve ter sido comprado novo e aposentado naquela mesma cidade. Pertencia a um senhor, e após sua morte, o trator ficou de herança para os filhos. Um deles resolveu colocá-lo a venda na internet. Algum tempo depois, o Antonio Carlos vê o anúncio e resolve ir até Minas Gerais para negociar o trator.



- Na primeira foto acima, o trator no lugar que ficou por longos anos. Na foto seguinte o trator já na rua da cidade de Pratápolis aguardando transporte para o sítio do Antonio Carlos.


- Com a chegada do trator ao sítio, a primeira coisa foi começar a desmontá-lo para ver o que precisava ser feito. Segundo a conclusão do próprio Antonio Carlos, este trator trabalhou até bastante, mas o que o destruiu foi a falta de mecânicos mais experientes e ferramentas adequadas para os consertos. Nota-se que quando o John Deere quebrava, tentavam consertá-lo de qualquer maneira e com quaquer ferramenta, resultando em reparos que geravam mais quebras futuras!

- O que mais estava em desacordo no trator foi a caixa de direção. No lugar dela adaptaram uma outra de automóvel em um serviço muito mal feito. Com muita sorte deu pra recuperar a caixa de direção original e fazer o sistema voltar a funcionar corretamente. No mais, todo o resto resumiu-se a limpeza. Desmontar, tirar, limpar, desemgripar. Muitos lugares havia terra, certamente colocada por brincadeiras inocentes de crianças. No hidráulico havia abelhas... No óleo do câmbio e diferencial, muita água e sujeira... 




- O jeito então foi transportar o trator para outro local, com a ajuda do Valmet 65 ID, e inciar uma limpeza mais severa. Depois de algumas partes já desmontadas e limpas, o câmbio já limpo e fechado, iniciou-se a revisão das partes mecânicos, a começar pelo cabeçote, seguido de uma nova junta, revisão da embreagem, ajustar e limpar os freios e o mais difícil: melhorar o visual do chassis do trator, que estava lotado de soldas mal feitas e amassados.

- Com as partes principais já prontas, a etapa de pintura começou. Após isso, o trator começou a tomar forma novamente. Novos pneus, rodas amarelas, lá estava o John Deere renascendo. As latas não estavam boas, o capô foi todo trabalhado pra ficar como novo, a grade dianteira precisou parcialmente ser refeita! Nos finalmentes sempre sobram os pequenos detalhes. Como lembrança o Antonio Carlos manteve o couro original do banco do tratorista!




- Com o trator já praticamente montado, a etapa seguinte foi funcionar o motor e colocá-lo para andar, para  ver o resultado e regular ele por completo. No início o carburador deu um certo trabalho, mas agora pega fácil e responde bem em todas as rotações. A embreagem precisou de algumas regulagens até ficar boa também.

- Este John Deere é um modelo diferente dos demais. A maioria dos JD modelo B no Brasil são tratores a querosene. Possuem um tanque maior para o querosene e outro pequeno para a gasolina, pois no frio dava-se partida na gasolina e depois de quente trabalhavam com o trator usando o querosene (mais barato). Mas este modelo em específico é um trator movido somente a gasolina, não possui o tanque de querosene, e também por ser somente a gasolina desenvolve um pouco a mais de potência que o mesmo trator movido a querosene.

- Depois de pronto andar no John Deere foi o que não faltou, desde ir até Itaju nos domingos, como ir rodando com ele até o encontro de carros antigos da cidade de Bariri-SP.



- Ainda faltam detalhes como os paralamas, hidráulicos, engate para puxar o arado John Deere de duas aivecas, entre outros. Mas o mais importante é que o trator já está totalmente pronto, andando e funcionando perfeitamente. Vendo a primeira foto desta postagem é impossível dizer ser o mesmo trator desta última foto abaixo!


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Fotos: Lanz Bulldog e o Cristo Redentor

- O amigo Rodolfo mais uma vez se aventurou com seu parceiro Lanz, desta vez a aventura foi a subida do morro até o Cristo Redentor de sua cidade, Tapiratiba-SP!

- Ele aproveitou e registrou toda a subida em vídeo e fez algumas fotos que enviou aqui para o blog!