terça-feira, 24 de abril de 2012

Primeiros tratores Brasileiros: TMO Formiga - Parte II

- A história sobre o trator TMO Formiga começa aqui: tratoresantigos.blogspot.com.br/2011/11/primeiros-tratores-brasileiros-tmo.html . Nesta postagem relatei um pouco da história do sr. Oswaldo Olsen e sua paixão pelas máquinas, principalmente os tratores, onde veio a lançar um dos primeiros tratores brasileiros!

- Acontece que alguns dias atrás o amigo e colaborador Anderson Olsen, de Curitiba-PR, que pesquisa sobre a história da Família Olsen, me enviou algumas fotos e arquivos que simplesmente foram a "luz no fim do túnel" para a história dos tratores TMO que citei na última postagem sobre o sr. Oswaldo. Resolvi então contar a "continuação" como uma nova postagem para que a anterior não ficasse extensa e carregada de fotos e informações.

- Bem... começamos então com a primeira foto. Na verdade um cartão de apresentação do sr. Yedo que era procurador da empresa "Cia. Olsen de Tratores Agro-Industrial". No verso do cartão dois desenhos dos tratores TMO Formiga e TMO Caçador. Aqui com este cartão temos a primeira imagem do até então misterioso trator "TMO - Formiga".



- Seguindo com as novidades, agora as mesmas fotos da postagem anterior, e duas novas, porém em maior resolução! São fotos do desfile de 7 de setembro onde o sr. Oswaldo Olsen desfilou com o trator TMO Caçador, aproveitando a oportunidade para lançamento do trator!





 - As fotos abaixo foram digitalizadas da Revista do Sul nº 198 de 1969, onde na capa aparecia a Srta. Suzely Olsen debutante do ano de 1969 e o trator TMO Formiga fabricado naquele ano. Nas páginas da revista uma matéria sobre o Sr. Oswaldo e sua Cia. Olsen de Tratores Agro-Indutrial. Na matéria um interessante apelo as autoridades da época para que dessem atenção ao trator inteiramente nacional e totalmente benéfico para nossa indústria e agricultura, "...superior aos similares estrangeiros, representando grande economia de reservas para o nosso país." Porém infelizmente sabemos que não foi a vontade do sr. Oswaldo que prevaleceu!




- E para finalizar, com os magníficos dizeres abaixo, uma página do Jornal de Caçador, de novembro de 1964, com reportagem sobre o sr. Oswaldo Olsen e o lançamento de seu trator TMO Caçador!

"Realiza o Sr. Oswaldo Olsen

UMA OBRA GIGANTESTA - CONCRETIZANDO UM GRANDE EMPREENDIMENTO

À nossa reportagem declara o sr. Oswaldo Olsen:
Meu trator é uma realização de caráter cem-por-cento nacional, feita no Brasil, com materiais e técnicos do Brasil e pelo Brasil."



quinta-feira, 19 de abril de 2012

Encontramos o avô dos tratores Massey

"PROCURÁVAMOS O AVÔ DESTE TRATOR! ENCONTRAMOS O BISAVÔ DELE!"

- Com este recorte retirado da edição 15, do informe Campo Aberto Massey Ferguson, dou início a postagem que desvenda o ganhador da famosa promoção no Brasil!

- Na década de 80, mais precisamente em 1985, a Massey Ferguson procurava o avô dos tratores Massey, conforme propaganda a baixa, que já foi tema do blog nesta postagem: "A Procura do avô deste trator!".

- Esta propaganda retirei de uma revista Globo Rural, e na época desconhecia qualquer outra informação sobre a promoção da Massey Ferguson.

- Nesta pequena nota, que retirei da edição nº 02 do informe Campo Aberto de Maio/Junho de 1984, a Massey já iniciava a divulgação da futura promoção, que teria seu ganhador revelado um ano e meio depois!

- Para nossa sorte, nestes últimos meses a Massey Ferguson está com uma nova promoção: Quem ajudar a empresa com edições antigas do informe "Campo Aberto" irá ganhar um Kit promocial da empresa! Detalhes da promoção podem ser vistos aqui: www.portalcampoaberto.com.br/pt/resgate.php

- A empresa também disponibilizou em sua página, várias edições antigas do informe "Campo Aberto", e foi lendo a edição nº 07 - Janeiro/Fevereiro de 1986, que descobri não só quem foi o ganhador, mas também que modelo de trator foi escolhido como o mais antigo da Massey no Brasil, e também no mundo! (Detalhe: a promoção foi a nível mundial!)

- As edições do informe Campo Aberto - Massey Ferguson, que a empresa conseguiu reunir, podem ser vistas em forma digital - arquivo .pdf, nesta página: www.portalcampoaberto.com.br/pt/revista_virtual.php?idm=pt

- A empresa ainda busca algumas edições perdidas do informe, por isto a nova promoção para que agricultores do Brasil todo ajudem a resgatar todas as edições do informe!

"50 ANOS DE BONS SERVIÇOS"


- Foi então nesta edição, nº 07, que a Massey Ferguson terminou sua promoção e divulgou aos agricultores de todo o país o então ganhador de um Massey Ferguson novinho!


"Depois de mais de cinquenta anos de serviços prestados à agricultura brasileira e ao homem do campo, agora o velho Massey Harris modelo 25 vai ficar exposto na fábrica da MF em Canoas, no Rio Grande do Sul, contando aos visitantes um pouco da história da mecanização agrícola no Brasil. Com suas rodas de ferro, a pintura gasta pelo tempo, mas ainda em perfeito estado de funcionamento, o modelo pertencia ao sr. Lourenço Edwino Scheffel, de Rincão dos Cabrais, em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul. Ele foi o vencedor do concurso promovido pela fábrica para homenagear o centenário de Harry Ferguson seu fundador.

Concurso Nacional

Este concurso foi promovido no mundo inteiro, e entre os meses de abril e maio de 1984, mais de 10 mil proprietários se inscreveram, da Inglaterra à Tanzania, da Suiça à Nova Zelândia, passando até pela Noruega. O modelo mais antigo de cada país foi trocado na fábrica por um zero quilômetro. Em todo o mundo, o trator mais antigo localizado com este concurso foi o Massey Harris fabricado em 1918. Ele pertencia ao sr. Orland Nicholson, de Ontário, no Canadá, e curiosamente era o Massey Harris número 2. Mais curioso ainda é o fato de que o modelo ainda estava em plena atividade na propriedade de 100 hectares do sr. Nicholson. Assim como os demais modelos mais antigos de cada país, o Massey Harris localizado em Cachoeira do Sul será totalmente reformado, e será preservado como patrimônio histórico da Massey Ferguson. Fabricado em 1934, ele foi apresentado em 1956 ao então presidente Juscelino Kubitschek, durante a Festa Nacional do Trigo, como sendo um dos primeiros tratores a operar no País. Hoje ele é também a maior prova de que os produtos Massey Ferguson são os mais duráveis do mercado."

** Trecho retirado do Informe Campo Aberto - Massey Ferguson, nº 07 - Janeiro/Fevereiro de 1986.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fotos Antigas: Tratores em Catalão - GO

- Nesta postagem, três fotos de tratores que trabalharam na cidade de Catalão, estado de Goiás. As fotos retirei do blog Nosso Catalão, onde podemos encontrar muitas fotos antigas da cidade.



- Seguindo uma ordem cronológia pelo ano dos tratores, nesta primeira foto o trator Fordson lá dá década de 1920.
- Segundo consta na descrição do blog Nosso Catalão: "De acordo com Hélio Pereira Martins, filho de Cassiano Martins, esse foi o primeiro trator de Catalão. Observem que há uma inscrição feita à caneta, na parte superior da foto, indicando "Lavoura de Arroz" e logo abaixo o ano "1927"."
- Olhando com atenção parece uma foto que não é no Brasil! O trator Fordson equipado com os paralamas, a "colheitadeira" de arroz puxada pelo trator, mas pelo escrito na foto e o ano, fica a certeza de ser essa uma foto única!
- Mesmo Goiás sendo um estado mais novo, com uma mecanização agrícola mais tardia, essa foto prova o contrário, mostrando o pioneirismo de algumas pessoas e cidades no emprego de máquinas no campo.


- Nesta foto, segundo descrição do blog o agricultor e pecuarista de Catalão, sr. João Netto de Campos, operando um trator John Deere Modelo G. O modelo G da John Deere era o maior trator da série na época, entre os modelos a gasolina/querosene. Após ele somente o John Deere modelo R a Diesel.


- E por último, talvez até mais antiga que a foto do John Deere, o trator International Harvester - Farmall modelo MD. Este por sua vez "dirigido" por uma mulher! Em razão de algum serviço executado pelo trator as rodas eram de ferro, e parecem ser "feitas em casa". Estes tratores não eram equipados originalmente com rodas de ferro. E o modelo MD, por ser diesel, já era do fim dos anos 50.

terça-feira, 3 de abril de 2012

O batismo da Colheitadeira

- Para provar que antigamente toda máquina agrícola era uma "novidade" quando de sua chegada, aqui vai uma belíssima história! A colheitadeira: Uma John Deere! O ano: 1956! E toda a história e fotos, que retirei da página Almanaque Gaúcho de Ricardo Chaves, segue abaixo:


 " O batismo da Jandira"


"Por volta de 1956, Lagoa Vermelha viveu um acontecimento inusitado: o batismo da primeira colheitadeira automotriz do município e uma das primeiras do Rio Grande do Sul. Sua aquisição foi uma das muitas iniciativas pioneiras do agropecuarista Heliodoro Moraes Branco (Athos), que era também oficial do Registro de Imóveis e Especial do município.
Até chegar à cerimônia do batismo, não foram poucos os obstáculos vencidos, a começar pela montagem da máquina. Ela foi importada e, enorme como era, veio desmontada. O técnico encarregado dos trabalhos de montagem era bom de mecânica, mas não tanto no inglês. Depois de algum tempo, foi substituído por outro, que era bom de inglês, mas... não tanto de mecânica.
A máquina enfim ficou pronta, sobraram algumas poucas peças, e aí surgiu o novo desafio. Levá-la da oficina mecânica onde fora montada até à Granja Passinho Fundo, do seu proprietário, a alguns quilômetros da cidade. Sua enorme largura e, sobretudo, a grande altura eram de fato problemáticas, e acabaram provocando o rompimento de alguns fios da rede elétrica.

Uma vez no local, foi feita a cerimônia de batismo, com bênção do vigário local, Frei Humberto de Flores da Cunha (no alto da máquina, ao lado da Rainha do Trigo, na foto abaixo), e garrafa de champagne (na época, podia-se chamar assim). A máquina era capaz de colher diversos tipos de cereais, mas foi comprada visando principalmente ao cultivo do trigo. A soja ainda não chegara aos campos do Rio Grande e o trigo era a grande presença nas lavouras lagoenses. Heliodoro, proprietário da máquina, aparece atrás das rodas dianteiras, de cabeça baixa.


À direita, com máquina fotográfica, está Silvano Sanson, sócio-proprietário da oficina onde a automotriz foi montada. Os outros dois sacerdotes são os freis Celestino Dotti e Fidélis Dalcin Barbosa.
Mas, por que Jandira? A máquina era da marca John Deere, mas os empregados do dono, pouco letrados, abrasileiraram o nome, mudando inclusive o “sexo” daquela maravilha tecnológica.
(colaborou Pércio de Moraes Branco)"